2/1/2022 - MARINGÁ -

Maringá: a terceira maior cidade do Paraná



Maringá é a terceira cidade mais populosa do Paraná e a 23ª do Brasil. Pelo censo realizado em 2010, estava com 357.077 habitantes. Na estimativa feita em 2021, passou para 436.472 moradores. Tem o 14º melhor salário do Paraná. O índice de escolaridade de crianças entre 6 e 14 anos é de 98,4 por cento. Oitenta e três por cento da cidade conta com rede coletora de esgoto. Noventa por cento das vias públicas são asfaltadas.




Em PIB per capita, Maringá ocupa a posição 47 entre os 399 municípios do Paraná e a 560ª dos 5.570 municípios brasileiros. Maringá tem cerca de 24 mil empresas comerciais e de prestação de serviços e 4.500 indústrias. A soja é cultivada em 24 mil hectares. O milho é plantado em 23 mil ha. O café que motivou o surgimento e o crescimento da cidade tem hoje apenas 68 hectares. O rebanho bovino é de 4.580 cabeças.




Maringá tem 163 mil 741 imóveis residenciais. Na área rural existem apenas 800 moradias. Possui cerca de 60 agências bancárias. Destas, 11 são unidades da Caixa Econômica Federal e 16 do Banco do Brasil. Tem 13 emissoras de rádio e vários canais de televisão. Entre elas estão as afiliadas da Rede Globo, SBT, Bandeirantes e Record.




Maringá começou a surgir nos primeiros anos da década de 40 por iniciativa da Companhia Norte do Paraná (mesma de Londrina, Cianorte, Umuarama e dezenas de outras). O alvo principal da companhia era atrair pessoas interessadas no plantio de café. A exemplo de Londrina, a empresa fez a divulgação da nova cidade utilizando principalmente os cinemas. Essa propaganda se espalhou pelo Brasil e também pelo exterior. Na abertura da futura cidade, um córrego recebeu o nome de Maringá, inspirado na canção de Joubert de Carvalho. O nome desse córrego passou ser o da cidade. Até 1951 foi distrito de Mandaguari.




Além da agricultura e da indústria, Maringá se destaca pelo setor de comércio, ensino superior e prestação de serviços. Possui 4 grandes shoppings. Um deles é o Catuaí, considerado o segundo maior do interior do Paraná. Perde apenas para o Catuaí de Londrina. O transporte coletivo é operado de forma radial, ou seja, as linhas têm como destino final o centro da cidade. Em fevereiro de 2020, foi inaugurado o Terminal Intermodal com 22 mil metros quadrados.




Como qualquer cidade grande, dirigir em Maringá requer paciência e atenção. Apesar das avenidas largas e duplas, o projeto da área central era para 200 mil habitantes, hoje tem o dobro. A grande quantidade de edifícios de apartamentos na área central e locais de grande fluxo bem próximos também são responsáveis pelo grande movimento. Na imagem acima está a Avenida São Paulo. Esse trecho fica perto de 2 shoppings, um supermercado e o Parque do Ingá, além de ser uma das vias para a Avenida Colombo, saída para Londrina, Paranavaí e Campo Mourão.




Sossego mesmo no trânsito de Maringá só domingo pela manhã. Muita coisa foi feita para fazer o tráfego fluir de forma mais rápida. Entre as medidas adotadas está o sistema binário. Nesse sistema várias avenidas que tinham mão dupla passaram o ter o mesmo sentido.




Embora tenha esse porte de cidade grande, Maringá ainda preserva algumas coisas das pequenas cidades do interior. Um exemplo é que você pode saborear pipoca feita em carrinho a poucos metros da principal loja do Macdonalds. Ou então, trocar de carrinho e comer um cachorro quente. Também é comum principalmente no período da noite motociclistas empinandos motos ou jovens motoristas "cantando os pneus".




O projeto da cidade de Maringá é datado de 1943, e assinado pelo urbanista paulista Jorge de Macedo Vieira. Levou em consideração o conceito de "Cidade Jardim", valorizando espaços com áreas verdes. O planejamento dividiu a área urbana por zonas, de acordo com a função. Na região central com o centro cívico, a Zona 1 ao comércio e à prestação de serviços, as Zonas 2, 4 e 5 residenciais, enquanto as Zonas 3, 6 e 7 áreas residenciais operárias, e assim por diante. Hoje vai até a zona 53. A cidade foi planejada para comportar até 200 mil habitantes. Hoje tem mais que o dobro. Noventa por cento das ruas são arborizadas. Calcula-se que Maringá tenha quase 150 mil árvores. A maior parte pertence a dez espécies com liderança para as Sipibirunas (30%), Oiti (12%) e Ipê Roxo 8%.




O cartão de visitas da cidade é a Catedral Metropolitana. Pouca gente sabe que a o templo foi inspirado nos foguetes russos Sputnik, lançados entre o final dos anos 50 e começo dos anos 60. O projeto é do arquiteto José Augusto Bellucci. Bellucci nasceu em São Paulo em 1907 onde faleceu em 1998. Seu escritório funcionava na Praça da República no centro da capital paulista. Foi o responsável por vários projetos em Maringá, o primeiro do Grande Hotel em 1951. Em 53 ficou responsável pelo terminal do Aeroporto. Em 56, projetou o primeiro Clube Social de Maringá em seguida a Catedral, depois vieram os projetos da Praça Napoleão Moreira da Silva, Teatro Municipal entre outros.




A Catedral Basílica de Maringá é a mais alta da América do Sul. O cone tem 114 metros de altura e na ponta está a cruz com 10 metros, elevando o monumento para 124 metros. No piso o diâmetro é de 50 metros que vai se afunilando até o topo. A igreja comporta 3.500 pessoas em galerias superpostas. A 35 metros de altura está a imagem de Nossa Senhora da Glória. No interior do cone a 45 metros de altura, encontra-se o ossário, com 1.360 lóculos, que os fiéis compram para guardar os restos mortais de seus entes queridos.




A porta principal tem um significado: é voltada para o norte. A pedra fundamental, lançada em agosto de 1958, é um pedaço de mármore retirado das escavações da Basílica de São Pedro pelo Papa Pio XII. A Catedral foi construída entre julho de 1959 a maio de 1972. Foi consagrada em maio de 1981. Em 21 de janeiro de 1982 recebeu o título de Catedral Basílica Menor.




Embora tenha sido projeta no final dos anos 50, a Catedral Metropolitana Basílica Menor Nossa Senhora da Glória de Maringá, é símbolo da arquitetura moderna e arrojada. Uma escada com 466 degraus leva os visitantes a um mirante. O espelho dágua ao redor do templo foi retirado por um período para solucionar problemas de infiltração.




A Catedral pode ser considerada o cartão postal, mas é bom lembrar que "ela" tem vários "concorrentes". Na saída para Iguaraçú (com agendamento) é possível visitar o mosteiro dos Araútos do Evangelho. Parece um castelo medieval. Em nossa visita, a obra estava na fase final.




A Mesquita de Maringá, foi inaugurada no dia 15 de outubro de 1989. A arquitetura típica islâmica tem o Minarete, pequena torre onde são anunciados os horários das orações. Aos visitantes um recado: a maioria dos mapas indica que a mesquita fica na Rua Itália. O nome da rua mudou. Agora é outro: Rua Saadeddine Ali Wardeni, Jardim Guaporé.




As visitas à mesquita só podem ser feitas com agendamento. Cerca de 500 muçulmanos de Maringá frequentam o local, além de outros 500 da região, incluindo Campo Mourão.




O Templo Budista de Maringá começou a ser construído em abril de 1980 e foi concluído em maio de 1983.




O Templo Budista tem um campanário com sino de 900 quilos, feito no Japão, que é tocado antes das celebrações e também na passagem de ano.




Maringá é a terceira cidade brasileira com maior concentração de descendentes japoneses. Em 1973, se tornou cidade irmã de Kakogawa. Foi o começo da realização do grande projeto do Parque do Japão. Embora o projeto estivesse em discussão nos anos 70, a Pedra Fundamental foi lançada em 2006. A inauguração aconteceu em 2013.




O Parque do Japão tem 100 mil metros quadrados. As instalações foram edificadas em arquitetura japonesa. No local estão lembranças da imigração japonesa no Brasil. O lagos são repletos de carpas. Por todos os lados estãoos bonsais.




O Parque do Japão de Maringá possui restaurante (serve comida típica e também brasileira), e espaços para a venda de objetos que lembram a cultura japonesa e sobre a cidade. O espaço é cedido mediante agendamento e pagamento para a realização de festas de aniversário e casamento. No período natalino o parque ganha iluminação especial. O parque foi visitado pelo principe japones Naruhito.




O Centro Cultural do Parque com 6 mil e 600 metros quadrados é palco de apresentações de danças típicas, aulas de artesanato, dança, origami e da lingua japonesa. O Ginásio de Esportes (estílo japonês), é para a prática de artes marciais e conta com quadra poliesportiva. O Parque é aberto todos os dias com entrada gratuita. Tem estacionamento, mas em determinadas datas e horários é preciso pagar.




Se antes de visitar o Parque do Japão, você quiser tomar o café da manhã "sobre a cidade", isso também é possível. Um hotel serve o café no 25º andar, tendo ao redor uma área envidraçada com vista panorâmica para todos os lados da cidade.




Em Maringá não é difícil encontrar o que se procura: se quiser uma caricatura, tem o Augusto Gomes Filho, o "Gucharges". Ele já recebeu vários prêmios por suas caricaturas. Se o assunto for automóveis tem praticamente todas as principais concessionárias, incluindo Mitsubishi, Mercedes, Audi e BMW.


Maringá - Mercadão Municipal



O Mercadão de Maringá está localizado na Avenida Prudente de Morais, perto do Estádio Willie Davids. O Mercadão foi inaugurado em 2009, e ocupa o primeiro armazém da cidade, construido em 1958 e que tinha o nome de Armazém Tamandaré.




O Mercadão de Maringá é uma mistura de produtos populares e caros, e por isso atrai consumidores dos mais diferentes segmentos.




O que mais chama a atenção é a quantidade de opções para alimentação. Os restaurantes são os mais variados. Em um deles você escolhe a carne em exposição em um grande freezer vertical para ser assada na hora.




São dois horários de funcionamento. Os bares e restaurantes atendem de terça à sábado das 11 da manhã à meia noite. Aos domingos funcionam das 11h às 23. As lojas abrem de terça à sexta das 8h às 20h. Aos sábados o atendimento é das 8h às 18h e aos domingos das 8h às 13h.




Outro espaço que disputa a atenção no Mercadão Municipal de Maringá é o de bebidas com uma grande variedade de vinhos nacionais e importados. Algumas garrafas chegam a custar mais de 1.000 reais.




O almoço e jantar também são servidos do lado de fora. O Mercadão conta com 30 lojas, que oferecem chás, cervejas importadas, queijos, temperos, doces, peixes, carne de cordeiro e muito mais. Inclui ainda um açougue.




Teatro Barracão. Inaugurado em 4 de julho 1989, é o primeiro teatro de Maringá. Toda a estrutura é em madeira eucalipto. Foi construído pelo Governo do Estado no chamado "Projeto Barracão da Cultura". Tem capacidade para 215 pessoas. Está localizado na Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, Praça Professora Nadir Cancian




Em uma rotatória no Jardim Aclimação (região do Cesumar), chama a atenção o avião de caça dos anos 70. Foi o primeiro avião a jato produzido no Brasil. Na verdade lá só está o casco dele. É uma doação da Força Aérea Brasileira. A praça é denominada oficialmente como "Letícia Nayara Nazareth Silva", mas agora só chamam de "Praça do Avião". O projeto da prefeitura é transformar o espaço em uma área histórica.

CURIOSIDADE - Em 1957, durante os festejos de 10 anos de Maringá, cinco aviões da Força Aérea Brasileira realizavam apresentação, quando um deles caiu. Dois tenentes morreram.




Uma das primeiras esculturas de Maringá, foi edificada na rotatória da Avenida Brasil que divide o Maringá Velho e a Nova Maringá. É uma homenagem aos pioneiros, mas ficou mesmo conhecido como "Peladão". A escultura é de Joaquim Henrique Aragão, tem 7 metros e 10 centímetros de altura e 980 quilos. A rotatória também passou a ser chamada de "Praça do Peladão", porém o nome oficial é "Sete de Setembro".

Curiosidade: A estátua foi construída no início dos anos 70 e surgiu a polêmica. As nádegas apontam para o Maringá Velho, o que na época não agradou os moradores.




No centro de Maringá, bem perto da Catedral e da Prefeitura estão as antigas dependências do Hotel Bandeirantes. construído no começo dos anos 50 foi um marco na arquitetura do Paraná. Em 2005, foi tombado como patrimonio histórico do Paraná. O imóvel é particular e o dono não deixa fazer fotos na parte interna.




O Teatro Calil Haddad é o maior do Norte do Paraná. O nome é uma homenagem a um pioneiro do teatro maringaense. Entre plateia e balcão tem capacidade para 759 pessoas. Foi inaugurado em dezembro de 1996. Também conta com um museu histórico de Maringá. Existe ainda um mosaico do artista plástico Poty Lazzaroto.




Avenida Tiradentes esquina com a Duque de Caxias. A Tiradentes é a avenida que dá acesso ao estacionamento da Catedral Metropolitana. Nessa via também estão os badalados Macdonalds (loja principal da cidade) e o restaurante e churrascaria Silvan Cut Grill. Dependendo do dia vá preparado, pois é preciso esperar na fila para almoçar ou jantar. Não abre às segundas-feiras.




O Aeroporto Silvio Name Júnior está localizado a 12 quilômetros do centro de Maringá, saída para Campo Mourão. Este é o segundo aeroporto da cidade. O primeiro com pista de terra entrou em atividade em 1940 e após reformas foi inaugurado em 1953 e passou a ser chamado de Gastão Vidigal, um dos diretores da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná. Novas reformas foram realizadas em 1960 e 1972. Em 1997 foi desativado.




O terminal de passageiros tem 4 mil metros quadrados e é climatizado. É administrado pela empresa de economia mista Terminais Aéreos de Maringá - SBMG. A média diária é de 20 decolagens e 20 pousos. Operam as companhias Azul, Gol e Latam.




A pista tem 2.100 metros de comprimento por 45 de largura e está sendo ampliada para 2.380 metros. O aeroporto também foi elevado a categoria 7 para receber cargas internacionais. O nome "Silvio Name Júnior", é uma homenagem a um empresário maringaense que morreu em acidente aéreo no ano 2.000 em São Paulo.


AGUARDE: PARQUE DO INGÁ, PARQUE DAS GREVÍLHEAS, UEM, ESTÁDIO WILLIE DAVIDS ENTRE OUTRAS ESPAÇOS MARINGAENSES.

[ voltar ]