Campo Mourão,
 
 
4/2/2019
APUCARANA
Apucarana: cidade sofrida e
"desprezada" pela companhia
que a criou



De origem caicangue, Apucarana significa "floresta intensa". Apucarana foi projetada em 1934 pela Companhia de Terras Norte do Paraná, para ser apenas uma cidade intermediária da produção de café entre os núcleos maiores (Londrina e Maringá), que recebiam toda assistência e benefícios da empresa. Foi distrito de Londrina. Está localizada a 140 quilômetros de Campo Mourão.

Habitantes:

Apucarana - 133.726
Campo Mourão - 94.212
No Paraná:
Apucarana - 11º
Campo Mourão - 21º
No Brasil:
Apucarana - 212º
Campo Mourão - 320º

Economia:

No Paraná:
Apucarana - 253º
Campo Mourão - 82º
No Brasil:
Apucarana - 1796º
Campo Mourão - 723º

Salário médio do trabalhador

Paraná:
Apucarana - 221º
Campo Mourão - 29º
No Brasil:
Apucarana - 2411º
Campo Mourão - 502º

Mortalidade infantil:

Apucarana - 11.0 por 1.000
Campo Mourão - 10.8 por 1.000

Taxa de escolarização de 6 a 14 anos:

Apucarana - 97,8%
Campo Mourão - 98,2%

Rede de esgoto:

No Paraná:
Apucarana - 135º
Campo Mourão - 43º
No Brasil:
Apucarana - 2589º
Campo Mourão - 1167º

Arborização:

No Paraná:
Apucarana - 176º
Campo Mourão - 73º
No Brasil:
Apucarana - 1198º
Campo Mourão - 433º


Fatos e curiosidades de Apucarana



Como dissemos acima, Apucarana, embora tenha sido iniciada pela mesma companhia, não foi planejada e não recebeu incentivos e benefícios da companhia, como Maringá e Londrina. É bem sinalizada, mas suas principais ruas e avenidas são estreitas. Apucarana foi criada para servir como ponto intermediário de Londrina e Maringá para o Porto de Paranaguá com ferrovia e a Rodovia do Café.



A geada negra de 1975, desempregou milhares de pessoas. Na época a área urbana com cerca de 50 mil moradores, passou em 3 anos para 90 mil com o surgimento de várias favelas. Arapongas era menor e não atraiu muita gente. Para piorar, Apucarana tem um relevo pouco propício para soja e milho. As empresas fecharam suas portas ou se transferiram para cidades como Maringá. Jovens com mais poder aquisitivo foram morar em Londrina, Curitiba e São Paulo. Pequenos agricultores e trabalhadores rurais experientes emigraram "fugiram" em massa para o Centro Oeste do País. A terra perdeu valor, o comércio e os serviços se retraíram fortemente e por fim se concretizou um ciclo de vertiginosa queda da atividade econômica e da renda per capita.



A crise econômica e pobreza em Apucarana seguiu até o começo dos anos 80. Foi aí que galpões abandonados e os altos índices de desemprego proporcionaram baixo custo para confecção de bonés e roupas. De forma lenta o município foi se recuperando.




Superada a grande crise, o comércio de Apucarana voltou a crescer. Hoje, mesmo perto de Londrina e Maringá, a cidade tem orgulho de ter um shopping grande e bem movimentado (foto acima). Vendo o shopping com tanta gente pensei: eles preferem o seu em vez de Londrina e Maringá. O sofrimento não foi em vão.




Da vidraça da praça de alimentação do shopping, é possível observar um ponto de ônibus em forma de boné. O boné que significou o recomeço econômico da cidade.




A Catedral Nossa Senhora de Lourdes foi inspirada em pizza italiana. A nave interna é a maior do Paraná. Apucarana conta com a TV Tigabi, afiliada do SBT, uma das primeiras no Estado.




Apucarana tem Guarda Municipal e a Polícia Militar ainda adota o sistema de módulos pela cidade.



voltar