Campo Mourão,
 
 
22/2/2019
ESTRADA DE LARANJAL
Os tempos não mudaram. Fomos nós que mudamos



De Altamira do Paraná até Laranjal não tem asfalto. São 34 quilômetros de pedras irregulares, barro, poeira, muitas curvas, subidas e é claro as descidas. A estrada é estreita e todo cuidado é pouco. Média de 35 quilômetros por hora e mais de uma hora para chegar ao destino.




Mas vale a pena. A paisagem é bonita, desde que você não se irrite com uma pedra espirrando na lataria do carro.




O negócio é o seguinte: passando por essa estrada, a gente percebeu que os tempos não mudaram. Fomos nós que mudamos. Alí tá quase tudo do jeitinho que o nosso avô e bisavô deixaram. Tá certo, tem uma casa de alvenaria no meio da fazenda, mas tem ainda aquelas residências de madeiras com chaminé. Dá pra ver de longe.




Gente...!! Tinha um senhor tocando boi e correndo atrás do bezerro. A última vez que eu ví isso foi.....Ah...1973...




As fotos não conseguem captar o que a gente vê alí ao vivo. A imagem fotográfica não consegue dimensionar as alturas. Tem aquele cheiro de mato




Mas, foi quase chegando em Laranjal que lembrei mesmo da minha infância. As duas crianças com vara de pescar. Não resisti e perguntei: - o rio é perto???. O maior responde: - é naquela baixada lá na frente. MEU DEUS!! NENHUM DOS DOIS TINHA CELULAR. E se acontecer alguma coisa????



voltar