Campo Mourão,
 
 
9/3/2020
GOIOERÊ
Goioerê: já foi capital nacional do algodão



A cidade de Goioerê está localizada a 74 quilômetros de Campo Mourão. Pela estimativa do IBGE de 2019, tem 28.884 moradores. Pelo Censo de 2010 estava com 29.018 habitantes, ocupando a posição 62 entre os 399 municípios paranaenses. A Paróquia Nossa Senhora das Candeias pertence a Diocese de Campo Mourão.




Na área urbana, Goioerê tem cerca de 10 mil imóveis residenciais. Pouco mais de 1.000 empresas estão cadastradas como comerciais e de prestação de serviços e outras 83 estão configuradas como indústria. A rede de esgoto beneficia quase metade da cidade. Conta com agências da Caixa, Banco do Brasil e outras duas instituições privadas. Tem 3 emissoras de rádio.




Goioerê conta com uma filial do Paraná Supermercados, Lojas Americanas, Concessionárias Ford, Chevrolet e Fiat, além das cooperativas Coamo, C.Vale, Integrada e Copacol. A estimativa é de que 20 por cento da população tenha emprego com carteira assinada. Em riqueza, avaliando o PIB per capita, Goioerê está na posição 187 do Paraná.




Goioerê está entre as 50 cidades mais arborizadas do Paraná. Na agricultura o destaque é para a soja com área de 35.200 hectares. O milho vem na sequência com 20 mil e 200 hectares. Destaque também para a produção de leite e frangos.




Goioerê surgiu por volta de 1943, com a chegada dos pioneiros Francisco, Carlos e Vlademir Scarpari. Às margens do Rio Goio-Erê, os irmãos iniciaram as primeiras fazendas de café. Anos depois eles decidiram criar uma cidade e fundaram a empresa “Sociedade Goio-Erê”, planejando a área urbana e a venda de lotes. O nome se deve ao Rio Goio-Erê, que na língua indígena significa "água limpa" ou "àguas claras". Mas, segundo o indigenista Edívio Battistelli, a tradução inicial do nome de Goioerê foi feita errada: as palavras Goio e Erê, na verdade, significam "campo dágua" e não "águas claras". Até 1955 foi distrito de Campo Mourão.




Nos anos 80, Goioerê foi reconhecido como o maior produtor nacional de algodão. Na época, ainda englobava os antigos distritos de Rancho Alegre do Oeste e Quarto Centenário. A população chegou a quase 100 mil habitantes, a grande parte na área rural. O fim do algodão nos anos 90 provocou grande desemprego e vertiginosa queda populacional. A foto acima, é do novo fórum de Goioerê.




O trânsito na área central de Goioerê é controlado por semáforos e vias de mão única. Não tem estacionamento rotativo pago. A cidade conta com campus da UEM, que oferece os cursos de Engenharia Textil, Engenharia de Produção e Licenciatura em Física. O prato tipico é o "Leitão Maturado". Desde o dia 2 de abril de 1978, funciona em Goioerê uma Aldeia Infantil SOS, entidade mundial que cuida do bem estar de crianças e adolescentes.




A imagem da rodoviária de Goioerê também mostra um detalhe da cidade. É dificil encontrar os chamados "postes republicanos", moda na maioria das cidades que já visitamos. Lá é do tipo "chuveirinho".




A unidade do Corpo de Bombeiros está ao lado do Ginásio de Esportes 10 de Agosto. O Ginásio já foi palco de grandes disputas esportivas e shows musicais. Goioerê está ultimando os detalhes para a implantação da Guarda Municipal.




Goioerê tem 6 centros de educação infantil, 12 escolas de ensino fundamental, 6 colégios estaduais de ensino médio. A cidade conta com o Parque do Povo, com quadras esportivas, parque infantil, pista de caminhada e centro de convenções. Tem ainda o Parque Ecológico, onde é possível caminhar pelas trailhas.




Bem legal em Goioerê, é que apesar de contar com quase 30 mil habitantes, as principais lojas, órgãos públicos, biblioteca, ginásio de esportes, igreja matriz e até o estádio, ficam concentrados em um raio de 1 quilômetro.



voltar