Campo Mourão,
 
 
4/5/2020
GUARANIAÇU
Guaraniaçu: local de grandes combates na revolução



Guaraniaçu é uma cidade do oeste paranaense, localizada a 234 quilômetros de Campo Mourão. O município tem 14 mil 582 habitantes, dos quais 6.778 moram na área rural. Em economia ocupa a posição 226 entre os 399 municípios do Paraná. Cerca de 40 por cento da cidade tem rede de esgoto. Como curiosidade: em julho de 1972, Guaraniaçu foi atingida pela maior geada da história da localidade. O gelo chegou a 15 centrímetros de altura e até congelou gasolina nos postos.




A Praça Guerino Cassol, é a principal da cidade. Ela está no canteiro central de 50 metros da principal avenida. É como se fosse a Avenida Brasil de Cascavel, mas com um detalhe. De um lado a via leva o nome de Manoel Ribas e do outro Ivan Ferreira. É como se a avenida John Kennedy, do Lar Paraná em Campo Mourão tivesse um nome para cada lado do canteiro.




Como a principal avenida tem canteiro largo, ao longo dos anos, a cidade foi aproveitando esse espaço para instalar outras atividades como um espaço de recreação.




Outra atividade no canteirão central é do Centro Cultural Caetano Bernardo Filho, com sua peculiar fachada. No mesmo canteiro está a Capela Mortuária, o Tribunal Regional Eleitoral, e em um trecho de 100 metros o espaço é ocupado por empresas e prédios residenciais.




O que chama a atenção em Guaraniaçu é a quantidade de construções novas, restauradas ou reformadas. Parece que grande parte da cidade começou a ser formada a poucos anos. A cidade tem cerca de 3.400 imóveis residenciais, 396 empresas comerciais ou prestadores de serviços e 57 estabelecimentos considerados como indústrias.




Outro destaque em Guaraniçu é a limpeza e a sinalização de trânsito (março 2019). A maior área de agricultura fica com a soja com 15.600 hectares. Na sequencia estão o milho (2.200 hectares) e feijão (500 ha). Destaque para o rebanho bovino com 129 mil cabeças.




Guaraniaçu conta com agência do Banco do Brasil e outras duas instituições privadas. A cidade tem duas emissoras de rádio, uma FM e outra AM.




Conta-se que o território onde hoje está Guaraniaçu, foi palco de graves acontecimentos durante o período revolucionário de 1922 a 1925, com sangrentos combates entre as tropas legalistas e revolucionárias. O povoado surgiu com nome de Rocinha. Os pioneiros foram atraídos pela madeira.




A primeira estrada que passou por Guaraniaçu foi a atual BR-277, ligando Guarapuava a Foz do Iguaçu. A obra foi realizada entre 1917 a 1922. Foi elevado a município em 1951. Guaraniaçu quer dizer, na língua indígena Guarani, "Lobo Habitante das Águas Grandes"




A Paróquia Nossa Senhora de Fátima pertence a Diocese de Cascavel. A padroeira é comemorada em maio com grande festa. Outra festa tradicional é o Rodeio Crioulo Gaúcho, realizado em fevereiro. Em junho acontece a Festa Italiana, em julho tem a Festa Cabocla. Em novembro é comemorado o aniversário com a realização da Expoguaçu.


voltar