28/12/2021 - MARIALVA -

Marialva: a Capital da Uva Fina



Marialva está localizada na microrregião de Maringá, a 105 quilômetros de Campo Mourão. Pelo censo de 2010, tinha 31 mil 959 habitantes. Na estimativa de 2021, subiu para 36.103. moradores. Quem passa por Marialva vai encontrar obeliscos em forma de cachos de uva. A imagem acima é do trevo que dá acesso a cidade para quem segue no sentido Maringá-Londrina. Percebe-se que é um cacho de uva rubi, a mais produzida por lá. O monumento foi construído em concreto e ferro pelo artesão cearense Gilberto Gomes Moura. Tem 18 metros de altura. Marialva é considerada a Capital da Uva Fina.




Aqui é para quem entra pela outra extremidade, ou seja no sentido Londrina-Maringá (mas para passar embaixo é preciso sair da rodovia e acessar a via para a cidade). Em dezembro é realizada tradicional Festa da Uva Fina. O cultivo da teve início nos anos 60, com os japoneses. Atualmente são quase 800 produtores. Em população, Marialva ocupa a posição 53 entre os 399 municípios do Paraná. Tem um dos melhores salários do Estado. A taxa de alfabetização de crianças de 0 a 14 anos chega a 99 por cento. A mortalidade infantil é de 14 a cada 1000 nascimentos. A cidade tem 45 por cento de rede coletora de esgoto.




Durante vários anos o tráfego entre Maringá e Londrina passou pelo centro de Marialva. Era trecho da BR-376, denominada de Avenida Cristovão Colombo. O nome continua o mesmo. Vai até Sarandi e segue à Maringá, onde é mais conhecida simplesmente como Avenida Colombo. Ou seja, essa famosa avenida começa em Marialva e termina no trevo do Shopping Catuaí, saída para Campo Mourão, totalizando 24 quilômetros. Tanto Marialva quanto Maringá foram fundadas pela Companhia Melhoramentos Norte do Paraná e por isso o mesmo nome para o trecho que liga e passa pelas duas cidades.




Marialva surgiu através da Companhia de Terras Norte do Paraná, que decidiu criar um patrimônio, ao lado da estrada que liga Mandaguari a Maringá. Em 1947, o patrimônio era elevado à categoria de distrito de Mandaguari e, em 1951, foi criado município. O nome é uma homenagem a D. Pedro de Alcântara Menezes, o “Marquês de Marialva”, cavaleiro portugues, nascido em 1711 e falecido em 1799.




Em 1954, foi inaugurada a estação de trem em Marialva. Era a ligação da ferrovia entre Maringá e Ourinhos (SP), passando por diversas cidades como Mandaguari, Jandaia do Sul, Apucarana, Londrina, Jataizinho, Uraí, Cornélio Procópio e Cambará. Em 1973, os trilhos seguiram de Maringá até Cianorte. O projeto era para prosseguir até Umuarama, mas em 1980, o trecho entre Maringá e Cianorte foi desativado. Atualmente a estação de Cianorte abriga a Casa da Cultura e a de Marialva foi abandonada. A estação de Maringá parou com o transporte de passageiros em 1976 e foi desativada. Hoje entre Maringá e Londrina só existem os trens de carga.




Marialva é uma cidade com relevo de "altos e baixos". Em menos de 2 quilômetros em área urbana você sai de 550 metros de altitude (nível do mar) para 680 metros. Existem trechos de ruas que em menos de 200 metros a elevação passa dos 50 metros.




Em PIB per capita, Marialva ocupa a posição 66 entre os 399 municípios do Paraná. Embora seja considerada como a Capital da Uva, a principal riqueza do município é com a soja que ocupa 27 mil hectares. Em seguida está o milho com 20 mil ha. Em dinheiro, a uva fica com a terceira posição. São 485 hectares e produção de 11 mil 580 toneladas por ano. O rebanho bovino é de 11 mil cabeças. Destaque também para a produção de frangos. O café é cultivado em 130 hectares.




Marialva tem cerca de 15 mil imóveis residenciais na área urbana e 1.600 na zona rural. O município possui 1.500 empresas comerciais e de prestação de serviços e 374 na área industrial. Possui agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Tem filiais das Lojas Americanas, Magazine Luiza e Mercadomóveis. No ramo agrícola é atendida pela Cocari, Cocamar (moinho de trigo), Integrada Cooperativa e Belagrícola. Entre as indústrias destaque para a Flexoprint Labels (auto adesivos e etiquetas), Incoplast (embalagens flexíveis e envelopes), Arroz Martinélli e BSBIOS (biodiesel, glicerina e farelo de soja).




Marialva conta com câmeras de segurança na área central. Esses equipamentos são monitorados pela polícia. Não possui estacionamento rotativo. Várias ruas são de mão única e diversos cruzamentos possuem semáforos. Quem nasce ou mora no município é denominado de "marialvense".




O aniversário de Marialva é comemorado no dia 14 de novembro. A prefeitura organiza diversos eventos. Entre eles um desfile na Avenida Colombo. A atração principal é a realização da Festa da Uva Fina.




A Festa da Uva Fina, realizada em novembro, tem vários dias e acontece no Parque da Uva, saída para Mandaguari. É recheada de shows nacionais, exposições de uvas e flores, palestras, passeio ciclistico (chegada no Parque) e até campeonato de estilingue.




Em todos os dias da Festa da Uva tem o tradicional rodeio com a grande final geralmente acontecendo no sábado a noite. No domingo as atrações são shows e eventos culturais e almoço das entidades.




A Paróquia Nossa Senhora de Fátima foi fundada em 10 de abril de 1949. O templo é imponente. Possui muitas esculturas e pinturas nos vidros. Várias peças em madeira representam a Via Sacra. No período natalino a paróquia em parceria com prefeitura realiza o "Presépio Vivo". A encenação é feita durante várias noites com a participação de voluntários. Também é tradição a encenação da Paixão de Cristo




A Praça Santos Dumont, centro de Marialva é um dos pontos de encontro da população. Ao redor tem sorveterias e bares. Os pais levam os filhos para brincarem no parquinho.




Em Marialva também chama a atenção é que espaços reduzidos são transformados em pequenos jardins. A iniciativa acaba transformando o visual e a paisagem de uma esquina.




Em algumas das esquinas, além do jardim, o espaço é enfeitado com esculturas.




Algumas áreas de lazer estão afastadas do centro da cidade e beneficiam moradores dos bairros. Na imagem acima um parque linear perto da linha férrea. O espaço tem pista de skate, cancha de bocha e espaço para crianças e a terceira idade.




Entre as pessoas famosas que nasceram em Marialva estão a Nádia Gomes Colhado, jogadora profissional de basquete e o produtor musical Luiz Eduardo Pepato. Trabalhou com Marília Mendonça, Chitãozinho e Xororó, Gustavo Lima, Luan Santana entre outros. Na foto acima a Estação Rodoviária.




O Cine Teatro Municipal "Sônia Maria Silvestre", tem capacidade para 700 pessoas. Possui estacionamento e ar condicionado. Foi inaugurado em 2010. A curiosidade é que devido ao relevo do terreno o prédio fica abaixo do nível da rua.




A concha acústica está localizada perto da prefeitura na praça Francisco Silveira da Rocha. O espaço sempre tem apresentações artísticas e culturais.




O Colégio Anjos Custódios foi fundado no dia 29 de janeiro de 1965. Em 1972, o colégio passou a funcionar no prédio atual. A obra começou em 1966 e teve a participação dos moradores. Os anjos Custódios, também conhecidos como anjos da guarda, são anjos que Deus designou a cada homem para protegê-lo. O estabelecimento oferece ensino particular e é administrado pelas Irmãs Anjos Custódio.




O Poder Legislativo de Marialva é formado por 9 vereadores. Recentemente os vereadores aprovaram o 12 de março como o Dia Municipal das Vítimas da Covid. A data é uma referência a primeira morte pela doença no Brasil.




O polêmico "Mirante". Construído pela prefeitura perto do reservatório de água da cidade, no ponto mais alto de Marialva, o mirante tem por objetivo ser uma atração turística, mas acabou virando uma polêmica. A obra orçada em meio milhão de reais, que começou em 2015, ficou parada por vários anos e parte da estrutura acabou sendo danificada. A estrutura foi revitalizada e inaugurada em outubro de 2019. Possui elevador. Do alto é possível ver toda a cidade de Marialva e também Maringá. Em Marialva o serviço de abastecimento de água e esgoto é municipal.


[ voltar ]