2/3/2021 - SANTA HELENA -

Santa Helena: cidade turística da Costa Oeste do Paraná



Santa Helena é uma cidade localizada às margens da represa de Itaipú a 271 quilômetros de Campo Mourão. No Censo de 2010, estava com 23 mil 413 moradores (10.827 na área rural), e subiu para 26.767 pela estimativa realizada em 2020, figurando na posição 75 entre os 399 municípios do Paraná. O município recebe royalties de Itaipú, já que quase 40 por cento do território foi ocupado pelo reservatório. Aliás a cidade ficou em uma "ilha" e até por isso é conhecida como "Terra das Águas". Apenas uma rodovia (PR 488), dá acesso à cidade e a 4 quilometros da área urbana tem uma ponte de 500 metros sobre o Lago de Itaipú.




Pelas belezas naturais e um grande balneário (veremos mais adiante), Santa Helena recebe até 15 mil turistas no período do verão. Muitos aproveitam as águas do Lago de Itaipú e suas pequenas praias para pescar, fazer piquenique, passear de barco ou jet ski. Outros locais bem visitados são o Morro dos Sete Pecados, Memorial Coluna Prestes que é uma ponte queimada em 1925 para impedir a passagem das tropas conhecidas como "legalistas" e o Cristo Esplendor que tem 12 metros de altura e serve como mirante. Um refúgio biológico foi construído pela Itaipú em 1984 e abriga diversas espécies de plantas e animais. O espaço é muito visitado também para estudos.




Em Santa Helena até o monumento do Lions Clube é em formato de barco sobre a água. O salário médio no município é de 2,5 mínimos, ficando entre os 45 do Paraná. EM PIB per capita ocupa a posição 115 no Estado. A taxa de escolarização de crianças entre 6 e 14 anos é de 99,4 por cento. A rede de esgoto abrange 40 por cento do perímetro urbano.




O aniversário de Santa Helena é comemorado no dia 24 de maio. A prefeitura através de diversas parcerias promove festejos de vários dias, incluindo a Expo Santa Helena (cerca de 150 expositores), Feijoada do Rotary, Festa da Costela, praça de alimentação, parque de diversões, feira dos sabores, shows nacionais sem cobrança de ingresso. A maior parte dos eventos acontece no Balneário.




Na área central Santa Helena tem 5 grandes praças. Perto da igreja matriz uma praça é de frente para a outra e são separadas pela Avenida Brasil, a principal via da cidade. Tem a praça do Colono também separada pela avenida e mais a praça da Matriz. Além dos festejos de aniversário o município promove o Natal Iluminado com show, geralmente com cantores de músicas sacras e DJs e pop para os jovens. Em 2019 foi Reginaldo Manzotti.




As praças de Santa Helena contam com sinal wi-fi de graça e pontos para carregamento de celular. O sistema funciona com energia solar. Ainda falando sobre os eventos da cidade podemos destacar o Carnaval com diversos shows, Projeto Mais Verão, Noite Cultural, Concurso de Fotografias, Semana Farroupilha (promovido pelo CTG "Filhos do Sul"), encenação da Paixão de Cristo, desfile de 7 de Setembro (geralmente realizado no período da noite), com participação da Fanfarra Municipal, Festival de Música "Feslena", Torneio de Pesca ao Tucunaré, Expo-Pesca e diversas competições esportivas.




A Praça Santos Dumont é um grande complexo para a pratica de esportes e lazer. São várias quadras esportivas de futsal, volei e basquete, à disposição da população com reserva antecipada. Ainda tem arquibancada, um espaço para jogos de mesa como tênis, parquinho para crianças até 12 anos, pista de caminhada. Tudo isso funciona inclusive no período noturno. Entre as competições promovidas pelo município estão os Jogos da Aventura e Natureza e provas de ciclismo.




No perímetro urbano Santa Helena tem entre 7.500 a 8.000 imóveis residenciais, cerca de 830 empresas comerciais e de prestação de serviços e 150 firmas consideradas como sendo do setor industrial. Possui agência do INSS e instituições financeiras como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Conta com duas emissoras de rádio.




Uma das indústrias de Santa Helena é a Biscoitos (bolachas) Naga. A empresa foi fundada em 1997. O slogam da empresa "Se não for NAGA, negue!" é conhecido em todo o Brasil. A empresa produz mais de 40 tipos de bolachas. A empresa já patrocinou o time de futsal de Umuarama na Liga Nacional.




Em Santa Helena também está instalada a indústria de confecções Fatiota. É mais uma empresa que nasceu na cidade em 2005.




A Ecoforma é uma indústria voltada a produção de alimentos à base de soja. A empresa foi criada em Santa Helena em 2001. A empresa produz sucos e outras bebidas com polpa natural de frutas utilizando soja orgânica.




Na saída para Missal e Diamante do Oeste, uma fachada em forma de castelo chama a atenção. Santa Helena tem vários condomínios residenciais. Entre eles alguns à beira do Lago de Itaipú.

Uma atividade social realizada em abril é o "varal solidário". Os moradores deixam suas doações em um determinado lugar e quem precisa é só pegar.




No setor educacional Santa Helena é servida pelo Instituto Federal do Paraná com vários cursos profissionalizantes ministrados com o ensino médio pelo sistema à distância. A cidade também tem um campus da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). A instituição oferece cursos como de agronomia, ciência da computação e biologia.




A rodoviária de Santa Helena foi fechada durante a pandemia do coronavírus. A queda no movimento caiu 90 por cento. Em novembro de 2020 apenas 3 linhas para municípios próximos foram mantidas e as passagens são vendidas do lado de fora ou pela internet. Um dos trajetos cancelados foi o de Curitiba.




Santa Helena tem 4 hospitais. O maior deles é o Hospital Fundação Atitude que presta atendimentos pelo SUS. A instituição atende emergências, consultas agendadas, maternidade e outras 10 especialidades. O hospital é mantido com recursos públicos e doações de empresas e moradores. São 1.500 metros quadrados com 33 leitos.




E finalmente vamos falar do Balneário Santa Helena também conhecido como Balneário das Águas. Uma área de lazer com 86 hectares às margens do Lago de Itaipú. Logo na entrada um centro de informações ao turista. O parque tem ruas para a circulação de automóveis e grandes áreas de estacionamento. Parece uma cidade só que com dezenas de quiosques com churrasqueiras, espaços para acampamentos, motor home, tobogã, quadras para a pratica de esportes, lanchonetes, traileres de lanches, galpões para festas, um lago e ainda quase 1 quilômetro de praia fluvial.




A entrada no Balneário de Santa Helena e o estacionamento de automóveis e caminhonetes são gratuitos, mas é preciso pagar por quiosque com barraca, para instalação de barracas, mesa com churrasqueira, quiosque e estacionamento de motorhomes. Quem mora na cidade paga a metade.




Vários eventos de Santa Helena acontecem no Balneário ao redor da prainha (um puxadinho do Lago de Itaipú). Entre eles estão o Natal e Virada do Ano. Nesse local também é realizado o "Projeto Mais Verão" e competições esportivas do município. Grandes shows nacionais acontecem por lá no interior do centro de eventos ou ao ar livre. Para locar quiosques em eventos especiais ou não, os interessados precisam comparecer ao Centro de apoio ao turista e fazer a reserva e o pagamento.




Mesmo quando não tem evento especial, o Balneário fica lotado, principalmente aos finais de semana. Na temporada de verão a prefeitura abre inscrições para comerciantes interessados em vender seus produtos no Balneário. Também existe um barracão como se fosse uma praça de alimentação de shopping. Em abril, o espaço também sedia o Encontro Nacional de Motorhomes. Chega a reunir mais de 200 carros.




A fachada do moderno prédio da Câmara dos Vereadores de Santa Helena é praticamente coberta pelas árvores. Em várias cidades que passamos é possível observar que árvores são derrubadas para mostrar as fachadas de instalações públicas. Embora grande parte do município tenha sido ocupado pelas águas de Itaipú, o plantio de soja ocupa 27 mil e 500 hectares. O milho tem espaço de 25.200 ha. O rebanho bovino é de quase 35 mil cabeças e é muito grande a criação de frangos. A cidade possui o Centro Avançado de Pesquisas que é referência em práticas ambientais.




A Paróquia Santa Helena pertence a Diocese de Foz do Iguaçu. A história relata que ocupação da área onde está a cidade teve início para a extração da erva mate e madeira. Essa região também chamou a atenção entre os anos de 1924 e 1925 pela passagem dos revolucionários da Coluna Prestes que eram perseguidos pelas tropas legalistas. A região tinha muitas famílias oriundas principalmente do Rio Grande do Sul. A cidade começou a surgir no final dos anos 50, através da Imobiliária Agrícola Madalozzo. Até 1967 foi distrito de Medianeira e Marechal Cândido Rondon.

[ voltar ]