Falecimentos em Campo Mourão no dia 21 de outubro

Ines Hass, 51 anos. Velório no Prever. Sepultamento dia 22.





















ALTAMIRA DO PARANÁ /

ALTO PARAÍSO /

ALTO PARANÁ/

AMAPORÃ /

AMPÉRE /

ÂNGULO /

ANTONINA /

APUCARANA /

ARAPONGAS /

ARARUNA /

ASSIS CHATEUBRIAND /

ASTORGA /

ATALAIA /

BOA VISTA DA APARECIDA /

BARBOSA FERRAZ - CIDADE E SANTUÁRIO /

BOA ESPERANÇA /

BOM SUCESSO /

CALIFÓRNIA /

CAMPINA DA LAGOA /

CAPITÃO LEÔNIDAS MARQUES /

CIANORTE /

CORUMBATAÍ DO SUL /

CHOPINZINHO /

CIDADE GAÚCHA /

COLORADO /

CORONEL VIVIDA /

CRUZEIRO DO OESTE /

CRUZEIRO DO SUL /

DIAMANTE DO NORTE /

DOUTOR CAMARGO /

ENGENHEIRO BELTRÃO /

ESTRADA DE TERRA ALTAMIRA DO PARANÁ A LARANJAL

EXPO LONDRINA 2019 /

FAROL /

FAXINAL /

FÊNIX /

FORMOSA DO OESTE /

FLORAÍ /

FLORESTA /

FLÓRIDA /

FRANCISCO ALVES /

GUAIRAÇÁ /

GUARATUBA /

IBIPORÃ /

ICARAÍMA e Porto Camargo /

IGUARAÇU /

INAJÁ /

INDIANÓPOLIS /

IRACEMA DO OESTE /

IPORÃ /

IRETAMA /

IRATI /

ITAGUAJÉ /

ITAMBÉ /

ITAÚNA DO SUL /

IVATUBA /

JANDAIA DO SUL /

JAPURÁ /

JARDIM OLINDA /

JESUÍTAS /

JURANDA /

JUSSARA /

LARANJAL /

LARANJEIRAS DO SUL /

LINDOESTE /

LOANDA /

LOBATO /

LONDRINA /

LUIZIANA /

MAMBORÊ /

MANDAGUAÇU /

MANDAGUARI /

MARECHAL CÂNDIDO RONDON /

MARILUZ /

MARMELEIRO /

MARQUINHO /

MARIA HELENA /

MARIALVA /

MARILENA /

MARINGÁ /

MARIPÁ /

MATINHOS /

MERCEDES /

MOREIRA SALLES /

MORRETES /

MUNHOZ DE MELLO /

NOVA AURORA /

NOVA CANTU /

NOVA ESPERANÇA /

NOVA LONDRINA /

NOVA OLÍMPIA /

NOVA SANTA ROSA /

NOVA PRATA DO IGUAÇU /

PAIÇANDU /

PALMEIRA /

PALMITAL /

PALOTINA /

PARAÍSO DO NORTE /

PARANACITY /

PARANAGUÁ /

PARANAPOEMA /

PARANAVAÍ /

PATO BRANCO /

PEABIRU /

PEROBAL /

PITANGA /

PLANALTINA DO PARANÁ /

PONTAL DO PARANÁ /

PORTO RICO /

PRESIDENTE CASTELO BRANCO /

QUARTO CENTENÁRIO /

QUATRO BARRAS /

QUATRO PONTES /

QUERÊNCIA DO NORTE /

QUINTA DO SOL /

RANCHO ALEGRE DO OESTE /

REALEZA /

RENASCENÇA /

RIO BONITO DO IGUAÇU /

RIO IVAÍ PELA BALSA /

ROLÂNDIA /

RONCADOR /

RONDON /

SABÁUDIA /

SANTA CRUZ DO MONTE CASTELO /

SANTA FÉ /

SANTA ISABEL DO IVAÍ /

SANTA MÔNICA /

SANTO ANTONIO DO CAIUÁ /

SÃO CARLOS DO IVAÍ /

SÃO JOÃO DO CAIUÁ /

SÃO PEDRO DO IVAÍ /

SÃO PEDRO DO PARANÁ /

SÃO TOMÉ /

SARANDI /

SAUDADE DO IGUAÇÚ /

TAMARANA /

TAMBOARA /

TERRA RICA /

TOLEDO /

TRÊS MORRINHOS (Terra Rica) /

TUNEIRAS DO OESTE /

UBIRATÃ /

UMUARAMA /

UNIFLOR /

VITORINO /

XAMBRÊ /


   














a
-----------------------------    
----------------------
a

 

a

 

a

 

a

 

a

 

a

 

a
------------ 
 













TUDO A VER - Muitos prefeitos querem nomes bonitos ou homenagear pessoas com suas praças esportivas. Em Cruzmaltina isso não foi problema. O nome escolhido foi "Ginásio de Esportes Lascadão". Mas tem uma explicação: quando a comunidade surgiu, os pioneiros deram o nome de Pau Lascado, por que as casas eram feitas de madeira lascada. CLIQUE AQUI E VEJA MAIS SITUAÇÕES CURIOSAS, ENGRAÇADAS E INOVADORAS QUE ENCONTRAMOS PELO PARANÁ







São João do Ivaí: a praça é o "point". Tem até teatro



A cidade de São João do Ivaí está localizada a 85 quilômetros de Campo Mourão. Tem 11 mil 525 habitantes. Trinta por cento da população mora na área rural. Pertence a micro região de Ivaiporã. É 263ª economia entre os 399 municípios do Paraná. Grande parte da cidade tem rede de esgoto.




A cidade começou a ser formada no final dos anos 40, quando o pioneiro Orozimbo Martins instalou um pequeno comércio e os frequentadores decidiram criar a praça (hoje Praça Duque de Caxias). O nome foi uma homenagem a São João Batista. Em 1954, Orozimbo vendeu parte das terras para José Martins Vieira, mais conhecido por Bispo Vieira. Para homenagear a mãe, mudou o nome do lugarejo para São João da Ocalina. Até 1964 foi distrito de Ivaiporã e voltou ao nome atual.




A área urbana tem cerca de 3 mil e 500 residências. O comércio e a prestação de serviços contam com 215 empresas e 12 indústrias. Soja é a principal atividade agrícola de São João do Ivaí com área de 18 mil e 500 hectares, seguida pelo milho com praticamente a mesma área.




A cidade tem duas emissoras de rádio e é servida pelo Banco do Brasil e Bradesco. O município é sede de comarca.




A Praça da Bíblia é o ponto de encontro da população. Tem área para diversão das crianças, espaço para atividades da terceira idade, local onde os jovens se encontram, barracas de alimentação e quadras esportivas.




A Praça da Bíblia não é a praça da Igreja Matriz. Está localizada a 300 metros da paróquia e é mais conhecida como praça do Teatro (Barracão) Banestado.




No Teatro Banestado são realizados os principais eventos de São João do Ivaí. Embora menor segue os mesmo modelo do existente em Maringá e foi construído pelo Governo do Paraná no final dos anos 80.




A Paróquia São João Batista pertence a Diocese de Apucarana. Surgiu ao redor de um cruzeiro, onde foi rezado o primeiro terço. Foi batizada com esse nome, por que o primeiro terço ocorreu no mês de junho, na data de celebração do santo. O cemitério está localizada a uma quadra da igreja.






Maringá fotos



Avenida XV de Novembro. Nessa via estão localizadas as agências dos Correios, INSS, Igreja Presbiteriana Central, Prefeitura e uma parte da praça da Catedral Metropolitana.




Avenida XV de novembro. Em uma de suas extremidades, essa via termina na Praça John Kennedy e na outra desemboca na avenida São Paulo, em frente ao Parque do Ingá.




Teatro Barracão. Inaugurado em 4 de julho 1989, é o primeiro teatro de Maringá. Toda a estrutura é em madeira eucalipto. Foi construído pelo Governo do Estado no chamado "Projeto Barracão da Cultura". Tem capacidade para 215 pessoas. Está localizado na Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, Praça Professora Nadir Cancian.

VEJA AQUI NOSSO ESPECIAL SOBRE MARINGÁ



Nas trilhas do cinema



O Colégio Vicentino Santa Cruz de Campo Mourão realizou, no dia 16 de outubro, no Teatro Municipal, com os alunos do Ensino Médio, a sua VII Apresentação Líterocultural que prestou um tributo à arte cinematográfica com o tema "Nas Trilhas do Cinema".

O evento foi um sucesso e contou com grande presença de público. Fortalecendo a importância dos gestos solidários, o ingresso para o evento foi a doação de um quilo de alimento não perecível, cuja arrecadação foi repassada para o Provopar, de Campo Mourão.



Santa Lúcia: nome é devido a suposto milagre



O nome do município é Santa Lúcia, mas a Paróquia é denominada de São Roque. A cidade de Santa Lúcia está localizada na micro região de Cascavel, distante 239 quilômetros de Campo Mourão. Tem 3.925 habitantes, ocupando a posição 339 dos 399 municípios do Paraná. Em economia figura na colocação 167. Menos de 2 por cento da cidade conta com rede de esgoto. A maior área com agricultura é de soja com 4.471 hectares. Também é grande a produção de frangos e gado.




Santa Lúcia foi elevada à condição de município em 1990, mas a instalação foi efetivada em janeiro de 1993. Até então era distrito de Capitão Leônidas Marques. Alguns moradores relatam que o nome foi dado por um pioneiro que feriu o olho em um galho e fez promessa à Santa caso fosse curado. O nome da principal avenida é Orlando Luiz Zamprônio (foto), o pioneiro que fez a promessa. Os primeiros moradores eram de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.




A cidade tem um pouco mais de 1.000 imóveis residenciais. Possui 12 indústrias (móveis e estofados) e 67 empresas comerciais. Não tem Banco do Brasil e nem Caixa Econômica Federal. O principal evento de Santa Lúcia são os rodeios que acontecem em area montada na praça da igreja. Outros eventos são os campeonatos de futebol e futsal. A cidade tem o Estádio Municipal Oreste Reffatti, que possui iluminação.










VÁ DE BIKE - Em Dois Vizinhos, Sudoeste do Paraná, tem o projeto "Vá de Bike". São várias estações com bicicletas disponíveis para a população. O morador faz um cadastro. Depois é só pegar a bicicleta, fazer o seu trajeto e deixar em outra estação da cidade. Para segurança as "magrelas" contam com cadeado e a responsabilidade fica por conta do ciclista. A iniciativa é da Associação dos Ciclistas de Doiz Vizinhos, empresas patrocinadoras e prefeitura. O objetivo é criar mais estações. CLIQUE AQUI E VEJA MAIS SITUAÇÕES CURIOSAS, ENGRAÇADAS E INOVADORAS QUE ENCONTRAMOS PELO PARANÁ







Paranavaí: atualização outubro 2019



Até 1951, Paranavaí foi distrito de Mandaguari. A cidade está localizada a 156 quilômetros de Campo Mourão e 68 km de Maringá. Tem 88 mil 374 habitantes. É o 24ª município mais populoso do Paraná. Em riqueza está na posição 200 entre os 399 municípios paranaenses. Tem um dos menores índices de mortalidade infantil. Quase 80 por cento da cidade conta com rede de esgoto.




A principal avenida, deputado Heitor Alencar Furtado, tem 8 quilômetros, divide a cidade ao meio, porém bancos, lojas e órgãos públicos estão concentrados em outras ruas e avenidas. Nessa via estão as principais concessionárias de veículos e também a Havan. O ponto mais próximo dessa avenida com a prefeitura é de 1 quilômetro.




Paranavaí conta com moderno shopping de 4 pisos. O estacionamento no sub solo é pago. A praça de alimentação tem várias opções. Possui várias lojas importantes e cinema. O shopping está localizado na área central em frente a prefeitura.




Paranavaí tem mais de 300 indústrias entre pequenas, médias e grandes, incluindo algumas multinacionais. O comércio de Paranavaí responde com 45% do valor da economia, enquanto a indústria corresponde com 32% do bolo. O restante, cerca de 23%, é formado pelos produtos primários da agricultura e da pecuária. Paranavaí tem 9 emissoras de rádio. São 8 em FM e 1 AM. Conta com uma afiliada da RPC (Rede Globo).





Embora esteja perto dos 100 mil habitantes Paranavaí não tem muitos edifícios, como Pato Branco e Cianorte que são cidades menores. A principal atividade rural de Paranavaí é a pecuária de corte. As pastagens ocupam 75% da área da região. O rebanho é de aproximadamente 1 milhão e 100 mil cabeças e a raça predominante é a nelore e dois grandes frigoríficos atuam no municipio. Destaque também para a produção de laranjas que depois são transformadas em suco pelas indústrias como a Prats. A região de Paranavaí também produz mandioca, algodão, café, bicho-da-seda, pecuária, abacaxi e soja. Dessas, a produção de mandioca é a mais significativa. O café ocupa 14 mil hectares de lavouras. Tem o segundo maior rebanho de búfalos do Paraná.




Paranavaí é um dos poucos municípios brasileiros que mudou o local da Catedral. A Catedral Maria Mãe da Igreja saiu do local antigo (foto 1) e ganhou nova sede a 1 km dali (foto 2). A inauguração do novo templo aconteceu em 1991. A antiga passou a se chamar Paróquia São Sebastião.




O ponto negativo de Paranavaí, é o abandono do Estádio Waldemiro Wagner. Com capacidade para 25 mil pessoas, foi inaugurado em 1992, com um amistoso entre a Seleção Brasileira e Costa Rica. A arquitetura do estádio é uma réplica do Coliseum, de Los Angeles. Sediou disputas do Paranavaí no Paranaense, Copa do Brasil e Série C. Em 2007 foi Campeão Paranaense.




No Terminal Rodoviário de Paranavaí atuam empresas como Expresso Maringá, Garcia, Gardenia, Ingatur, Itapemirim, JBL Turismo, Kaissara, Kaiowa. A rodoviária tem a presença constante da guarda municipal.




Até de 1920, a área ocupada por Paranavaí e região era completamente desabitada, constituída de terras devolutas de propriedade do Estado. O primeiro núcleo populacional surgiu na antiga "Fazenda Montoia. A partir de 1930, o povoamento deslocou-se rapidamente para a "Fazenda Velha Brasileira" (atual zona urbana de Paranavaí), em cujas terras virgens e férteis foi plantado nada menos que um milhão de pés de café.


Por um decreto de 8 de abril de 1931, as terras de Paranavaí voltaram ao domínio do Estado, sendo autorizado o seu loteamento. Data dessa época o início da decadência da povoação e da localidade. Devido à burocracia ocorreu um grande exôdo. Em 1944 recomeçou o loteamento e passou a sere conhecida como "Colônia Paranavaí", junção dos nomes dos rios Paraná e Ivaí. Até 1952, Paranavaí foi distrito de Mandaguari. Após a geada de 1975, que dizimou os cafezais, muitos moradores deixaram a localidade.




Verildo Pillonetto, é pioneiro do município e o dono do principal hotel de Paranavaí. O empreendimento agora é administrado pelo filho Verildo. Ele conta que cidades como Paranavaí, Nova Esperança, Campo Mourão entre outras não sofreram apenas com a geada de 1975, mas também com o crescimento vertiginoso de Maringá. "Ficamos parados no tempo, Maringá atraiu e continua atraindo o que pode".




Paranavaí é sede da Unespar (Universidade Estadual do Paraná). A Unespar com sete campi e mais de 12 mil acadêmicos matriculados em 68 cursos de graduação, 36 cursos de especialização e dois programas de mestrado. Tem ainda com a Unipar, Faculdade de Ciência e Tecnologia do Norte do Paraná e Unipar, além de outras instituições




Nova Santa Casa de Paranavaí em fase final de conclusão (setembro 2019). Além dessa, a cidade tem outra Santa Casa na área central, bem como hospital Unimed e Hospital Regional do Noroeste.



Colégio Vicentino Santa Cruz apresenta novidades para 2020



Pais e estudantes do Colégio Vicentino Santa Cruz poderão contar com novidades e inovações para ano letivo de 2020. As melhorias refletem a busca constante da instituição por aprimorar seus processos educacionais, no ano em que o Colégio celebrará seus 70 anos de missão educativa em Campo Mourão e região.


Um dos lançamentos é a oferta do Programa “Transformação Bilíngue Richmond Solution Go, em parceria Ricmond Solution, que estará disponível para estudantes a da Educação Infantil, a partir do Nível III. Serão 3 aulas semanais, integradas ao currículo, com custo acessível inserido na mensalidade.


A outra novidade para os alunos dos Ensinos Fundamental e Médio será a implantação da metodologia OPEE (Orientação Profissional, Empregabilidade e Empreendedorismo), criada pelo educador Leo Fraiman.


Alinhado ao desafio de educar por projetos de vida com atitude empreendedora, o Programa foca no desafio da convivência, autoconhecimento e inteligência emocional, educação financeira, escolha profissional, métodos de estudo, mercado de trabalho e valores.



Guaporema: entre as seis menores do Paraná



Guaporema está localizada a 104 quilômetros de Campo Mourão, e pertence a micro região de Cianorte. Tem apenas 2.243 habitantes. Ocupa a posição 393 entre os 399 municípios paranaenses. Na área urbana tem 704 imóveis residenciais e 31 empresas comerciais e de prestação de serviços, além de 3 indústrias, entre elas a Freedon Confecções. A média é de um veículo automotor para cada 2 habitantes.




Em riqueza Guaporema está em 233º. Apenas 2 por cento da cidade tem rede de esgoto. Faz muito calor e uma curiosidade é que lá existe ar condicionado nas salas das escolas municipais. A prefeitura está construindo um centro de eventos (grande cobertura metálica) para abrigar a Feira do Produtor. A principal avenida (foto) é a "Bento Gonçalves".




Em 1952, quando começaram a chegar os primeiros moradores, oriundos do Rio Grande do Sul e São Paulo, atraídos pela terra fértil para o café, o povoado pertencia ao município de Peabirú, sendo colonizado pela companhia São José, de Scrivant Lemos e Cia. A localidade foi elevada a condição de distrito de Rondon em 1955. Virou município em 1961.




Existem duas versões para o nome. Guapo que era um líder indígena de uma das tribos que habitavam a região. A outra é que os primeiros colonos vieram de Guaporé no Rio Grande do Sul. O que se sabé é que "Guaporema" é vocábulo indígena que significa raiz ou cipó malcheiroso. Da língua tupi guapó: raiz, e também uma espécie de cipó; e rema: fétido, fedido.




A principal atividade agrícola de Guaporema é a cana de açúcar que ocupa 8.308 hectares contra 760 ha de soja. É grande a produção de frangos para abate através de aviários.




Paróquia São José de Guaporema pertence a Diocese de Umuarama. A principal atividade de lazer é o futebol de campo (campeão da Liga de Paranavaí), suiço e futsal. O município também tem time feminino. Muitos seguem até o Rio Ivaí para pescar (3 quilômetros da cidade).

UM ALERTA - Mirador é uma cidade próxima (10 quilômetros), mas é preciso passar de balsa pelo Rio Ivaí. Ocorre que em setembro de 2019, quando estivemos lá, a balsa estava desativada. Assim é preciso, retornar a Rondon, e passar por Paraíso do Norte, uma volta de 50 quilômetros.







Salto do Lontra: cidade que participou da "Revolta dos Colonos"



Salto do Lontra é uma cidade, cercada por morros, localizada a 304 quilômetros de Campo Mourão. O município tem 14 mil 785 habitantes. Em população ocupa a posição 139 entre os 399 municípios do Paraná. Em riqueza está em 241º. Cerca de 40 por cento da cidade tem rede de esgoto.




O território onde está Salto do Lontra começou a ser colonizado em 1951 com a chegada das primeiras famílias. Um deles foi Nicolau Inácio, nome da principal avenida (foto). A exemplo de outras cidades do Sudoeste do Paraná, ocorreram vários conflitos de terra envolvendo as empresas Colônia Nacional de General Osório e Clevelândia Industrial e Territorial Ltda, que disputavam as áreas. Muita gente deixou a comunidade. Os conflitos só tiveram fim em 1957 com a chamada "Revolução dos Colonos". Em dezembro de 1964 foi instalado o município deixando de ser distrito de Francisco Beltrão.




A origem do nome Salto do Lontra surgiu devido à existência de muitas lontras num rio perto da vila, e a existência de salto que recebeu este nome. Na agricultura destaque para soja com 11 mil hectares, seguida por trigo (3 mil ha) e milho (2 mil ha). O feijão ocupa 1.000 hectares. Os pequenos agricultores cultivam frutas e verduras como banana, laranja, tangerina, tomate entre outras. Também é grande a produção de frangos e o rebanho bovino. Destaque ainda para produção de leite, ovos e mel.

E como curiosidade tem por lá pequenos agricultores que criam o peixe Pirarucu em cativeiro. Trata-se do maior peixe de água doce com escamas do Brasil. Alguns podem passar de 200 quilos.




Paróquia Nossa Senhora pertence a diocese de Francisco Beltrão. Metade dos trabalhadores com carteira registrada trabalha na área rural. Na cidade são 3 mil e 400 imóveis residenciais. Na zona rural outras 1.744. A cidade conta com agência do Banco do Brasil. O município tem 33 pequenas indústrias e 418 empresas comerciais e prestadoras de serviços. Salto do Londra é sede de Comarca e conta com Fórum Eleitoral. Tem rádio AM e FM. Quem nasce por lá é denominado de Salto Lontrense






DÚVIDA CAVALAR - Na principal rua do centro da cidade de Califórnia, região de Apucarana, bem em frente a Igreja Matriz, uma placa alerta os cavaleiros. Alguns entendem que não pode trafegar com equinos por ali, outros acham que é proibido "estacionar" cavalos no local. CLIQUE AQUI E VEJA MAIS SITUAÇÕES CURIOSAS, ENGRAÇADAS E INOVADORAS QUE ENCONTRAMOS PELO PARANÁ



São Jorge do Ivaí: vai bem na economia e igreja é na forma de pomba



São Jorge do Ivaí é uma cidade localizada a 97 quilômetros de Campo Mourão (via Terra Boa). Tem 5 mil 551 habitantes, ocupando a posição 283 entre os 399 municípios do Paraná. Em econômia é o 33ª do Estado. A rede de esgoto está em 90 por cento da cidade. A instalação do município ocorreu em 8 de dezembro de 1955, até então era distrito de Mandaguaçu.




Na área central de São Jorge do Ivaí estão construções dos anos 60 e as mais modernas. As principais lavouras são: Soja com 26 mil hectares e milho em uma área de 25 mil hectares. Destaque também para a produção de frangos. A cidade conta com agência do Banco do Brasil. Na área urbana São Jorge do Ivaí tem pouco mais de 2 mil imóveis residenciais. Estão cadastradas 31 indústrias (metalurgia, confecções e fabricação de móveis) e 230 empresas comerciais e de prestação de serviços.




A Praça Arlindo Ramos de Amorim se confunde com a área de lavouras. São Jorge do Ivaí começou a surgir em 1946, quando Oswaldo Barbosa e Ibrahim Rodrigues compraram as terras já demarcadas pela Companhia de Terras Norte do Paraná (atualmente Companhia Melhoramentos Norte do Paraná). A localidade já era conhecida por "São Jorge" e com a emancipação adotou o "Ivaí", por estar perto do rio com o mesmo nome.




A praça Santa Cruz é a principal e está em frente a igreja matriz. Como se percebe na imagem, apesar de cidade pequena já tem rua de mão única. Ainda na praça uma cobertura em concreto para taxistas, parada de ônibus e embaixo bancos e mesas de cimento para descanso.

São Jorge do Ivaí tem um Museu Municipal. No acervo até filmes da época da colonização.




O templo da Paróquia São Jorge exibe arrojada arquitetura. O formato é da "pomba da paz". A paróquia pertence a Arquidiocese de Maringá. O feriado do padroeiro é comemorado no dia 23 de abril. O aniversário é 8 de dezembro.

O Parque Ambiental Itamaraty, tem um lago e é ótima opção para descanso e lazer. Está localizado bem perto da cidade em meio a uma grande área de floresta.



O Colégio Vicentino Santa Cruz, há 70 anos, trabalha para o desenvolvimento de Campo Mourão e comemora suas conquistas. Parabéns, Campo Mourão, pelos 72 anos! Comemoramos - com muita alegria e juntos - a educação, a ética, o cuidado, a seriedade e a responsabilidade no trato com o que é "nosso".



Lunardelli: o segundo lugar mais visitado do Sul do Brasil



Lunardelli está localizada a 101 quilômetros de Campo Mourão, e integra a micro região de Ivaiporã. Tem 5.160 habitantes. Metade dos moradores reside na área rural. É a 385ª economia entre os 399 municípios do Paraná. Apenas 2 por cento da cidade tem rede de esgoto.




Em 1952, o local onde está o município era uma gleba que pertencia a Geremias Lunardelli e família. A gleba foi transformada em fazendas, atraindo agricultores. Em 1962, foi iniciado o trabalho de abertura de ruas e avenidas e venda de lotes urbanos. A hoje Lunardelli era conhecida como Guaretá e foi distrito de Pitanga, Manoel Ribas, Ivaiporã e São João do Ivaí. Foi elevado à município em 1980 com o nome atual.




Lunardelli tem como principal atração o Santuário de Santa Rita. A cidade atrai romeiros de todo o Brasil e até do exterior. Tem a réplica do Corpo de Santa Rita, Gruta, Monumento Milagre da Rosa, Praça de Santa Rita e Sala dos Milagres. O município "respira" o turismo religioso.


Tudo começou em 1963, quando a moradora Maria Pinto Momente, fez a doação de uma imagem de Santa Rita. Até então era capela sob o domínio de São João do Ivaí. Em maio 1969 é criada a paróquia. Em maio de 1973, acontece a primeira Festa em homenagem a Santa. A obra do templo atual começou em 1983. Em 1994 é realizada a 1ª novena. A novena tinha tanta importância que alunos e professores deixavam as aulas e o comércio fechava as portas para poder participar. A notícia foi se espalhando e cada mês, o numero de romeiros foi aumentando.


Em 1995 a comunidade construiu a Gruta de Santa Rita de Cássia. Os relatos de milagres fizeram crescer a presença de romeiros.




O que mais se observa nas ruas e avenidas da cidade é a presença de ônibus de turismo das mais diferentes cidades brasileiras. A igreja estima que 400 mil pessoas passam todos os anos pelo Santuário.


As principais lavouras são: soja com 5 mil hectares e milho 2.130 hectares. Conta ainda com grande produção de frangos




A praça da igreja e calçadas próximas são ocupadas por barracas com artigos religiosos, confecções, alimentos e outros artigos. No dia da Festa principal (maio), Lunardelli recebe mais de 400 ônibus de turistas. O total de visitantes chega a 60 mil.

A cidade tem pouco mais de 1.500 imóveis residenciais, oito pequenas indústrias e cerca de 160 empresas comerciais e de prestação de serviços.




É difícil encontrar vaga para estacionar na região onde fica o Santuário. Além dos ônibus é grande a quantidade de romeiros que vão até a cidade em seus automóveis. É considerado o 2° local mais visitado no sul do Brasil. Lunardelli não oferece opções em hotel, algumas residências servem como pousadas. Os hotéis mais próximos estão em Ivaiporã.




Boa parte do comércio abre aos sábados e domingos para aproveitar a grande quantidade de visitantes. Aos domingos, as missão são celebradas às 9h, 11h, 13h (louvor), 14h e 19h. Nos dias 22 (domingo), são celebradas várias missas e procissão. Algumas missas são transmitidas pela TV Evangelizar (cabo, satélite). Várias outras são transmitidas pela internet no site do santuário.


E OS FIÉIS QUE SE PREPAREM. O SANTUÁRIO VAI INICIAR A CONSTRUÇÃO DE UMA GRUTA SUBTERRÂNEA COM 190 METROS QUADRADOS.



Terra Boa: indústria é a grande geradora de empregos



Terra Boa está localizada a 50 quilômetros de Campo Mourão. Tem 17 mil e 94 habitantes. Ocupa a posição 114 entre os 399 municípios do Paraná. É a décima economia da micro região de Campo Mourão, e a 234º do Paraná. Pouco mais de 30 por cento da cidade conta com rede de esgoto.




Os primeiros moradores chegaram em 1951 atraídos pelo cultivo de café. O maior crescimento foi registrado entre 1960 a 1970. Na década de 60 contava com escolas, hospital, cinema e um forte comércio. A geada negra de 1975 que dizimou os cafezais do Paraná afastou muitos habitantes. No começo dos anos 80, começaram a surgir fábricas de calçados, estofados e confecções. Hoje as principais culturas do município são soja, trigo, cana, milho e mandioca. Até 1955 foi distrito de Engenheiro Beltrão.




Terra Boa é um dos poucos municípios do Paraná com menos de 20 mil habitantes que apresenta crescimento da população. Isso é observado na cidade com o surgimento de vários loteamentos e construções nos últimos anos. O setor industrial emprega cerca de 3 mil pessoas. No comércio estão registrados 500 funcionários e na prestação de serviços outros 1.000. Tem 3 agências bancárias, incluindo o Banco do Brasil.




Terra Boa é mais um dos municípios iniciados pela Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, responsável pelo surgimento de Londrina, Maringá, Umuarama e Cianorte. O nome foi dado pela Companhia para mostrar que ali tinha o solo roxo e rico para o plantio de café.




O Bosque Municipal de Terra Boa é um dos mais bonitos da região. Foi reinaugurado em abril de 2019. No local os moradores podem fazer churrasco aos finais de semana. É preciso fazer reserva na prefeitura. Na data marcada uma equipe da prefeitura faz a limpeza dos quiosques.

O parque tem ainda pista de skate, pista de caminhada, parque para as crianças, mini arena multi uso e pista de caminhada.




Terra Boa tem cerca de 6 mil imóveis residenciais, 403 empresas comerciais e 48 indústrias.

Entre as indústrias de Terra Boa estão: Amafil (alimentos); Naturitos (alimentos salgados); Etik (fivelas e chaveiros); Kirey (móveis e estofados); Terra Fortz (botinas) e Terraplastic (industria de embalagens).




A Paróquia São Judas Tadeu pertence a Diocese de Campo Mourão. Foi criada no dia 12 de dezembro de 1957.

O prato típico de Terra Boa é "Costela da Terra". O principal evento é a Festa das Nações em dezembro.



Umuarama: atualização setembro 2019



Umuarama está localizada a 106 quilômetros de Campo Mourão. Pela estimativa populacional de 2019, está com 111 mil 557 habitantes. É o décimo oitavo município mais populoso do Paraná. Como comparação, Campo Mourão na mesma estimativa tem 94 mil 859 moradores, 21º no Estado. É conhecida como "Capital da Amizade".




Umuarama faz aniversário no dia 26 de junho. Uma curiosidade é que se comemora a fundação ainda como patrimônio: 64 anos e também quando deixou de ser distrito em 26 de junho de 1960 (59 anos).

Em economia, Umuarama figura na posição 140 entre os 399 municípios do Paraná (C.Mourão está em 82º).




Quando se fala em salário médio do trabalhador, Umuarama está na posição 116, enquanto Campo Mourão é a 29º que melhor paga no Paraná. Se o assunto é rede de esgoto, Umuarama é 36º e Campo Mourão ocupa a posição 43º.

A cidade possui três hospitais particulares credenciados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e uma filial do Hospital do Câncer. Tem 49 escolas municipais, 22 estaduais e 18 particulares. No ensino superior conta com a Unipar, UEM, Faculdade Alfa, Faculdade Global e Instituto Federal do Paraná.




O sistema de trânsito de Umuarama tem radares, semáforos e estacionamento pago que atinge até dois quilômetros, mas mesmo assim é complicado. Mas essa complicação se deve ao próprio motorista. A cidade tem 35 cruzamentos com sinaleiros, radares e câmeras (2018).




Umuarama é uma cidade dotada de belas e grandes praças. É conhecida como a Capital da Amizade. No centro da cidade, existem dois grandes bosques de matas nativas (Bosque Uirapuru e Bosque dos Xetás).

É visível que a cidade cresce a cada mês pela quantidade de construções e a abertura de novas empresas. Um grande shopping center está em construção (2019). É o segundo maior polo moveleiro do Paraná, maior produtor de carne do estado, centro universitário com mais de cem cursos, polo comercial e prestador de serviços.




Umuarama quer dizer lugar alto, ensolarado, para encontro de amigos. A colonização deu-se a partir de 26 de junho de 1955, data de sua fundação e foi realizada pela Companhia de Melhoramentos do Norte do Paraná (a mesma de Maringá). Até 1961, Umuarama foi distrito de Cruzeiro do Oeste.




Um dos pontos negativos é a Estação Rodoviária, localizada no centro da cidade. Problemas na estrutura, falta de pintura. Sensação de abandono. Um moderno terminal rodoviário está em construção às margens da PR-482, mas a obra segue devagar devido a falta de recursos. O empreendimento de 7 mil metros quadrados é da ordem de 14 milhões de reais.

Umuarama não é considerada uma cidade com atrações turísticas, mas tem ótimos hotéis. A principal atração é a Expo-Umuarama.

Lá está uma réplica da Torre Eiffel na saída para Guaíra, (PR-323), com quase 33 metros de altura, ou 30 por cento do tamanho original.

Umuarama teve Raissa Oliveira Santana, como Miss Brasil 2016, representando o estado do Paraná.

Realiza o FEMUCAM - Festival de Música da Capital da Amizade. O festival é dividido em três categorias: interpretação popular, interpretação sertaneja e banda.




Ao visitar o interior da Catedral Divino Espírito Santo, vale a pena olhar para cima. Tem vão livre em concreto armado com mais de 50 metros. Imagine o cálculo estrutural e o trabalho que deu para fazer isso.






É ASSIM QUE FICA.. O Paraná é um estado que chove bastante, mas quando vem uma seca, a coisa fica complicada. A imagem mostra a Usina José Richa entre o Oeste e Sudoeste do Estado. Em condições normais, a água cobre toda a parte mais escura da barragem. CLIQUE AQUI E VEJA MAIS SITUAÇÕES CURIOSAS, ENGRAÇADAS E INOVADORAS QUE ENCONTRAMOS PELO PARANÁ



Ourizona: cidade da Festa do Milho



Ourizona é uma cidade que integra a região de Maringá, distante 106 quilômetros de Campo Mourão via Terra Boa ou 117 km por Maringá. O município tem 3.428 habitantes. No setor econômico ocupa a posição 162 entre os 399 municípios do Paraná. Menos de 10 por cento da cidade tem rede de esgoto. A principal atividade econômica é o plantio de soja e milho, além da produção de frangos.




Até 1961, Ourizona foi distrito de Mandaguaçu. Entre 1945 e 1947, a área pertencia a Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, responsável pelo surgimento de várias cidade no Norte e Noroeste do Estado, entre elas Londrina, Maringá, Cianorte e Umuarama. Foi comprada pelo empreeendedor Nicolau Nasser que, decidiu plantar 150 mil pés de café e comercializou os lotes urbanos e rurais. O Estádio Municipal tem o nome dele.




O nome da localidade é em homenagem ao café. Naquela época o café era conhecido como "Ouro Verde". Então era a "terra do ouro". Os dois principais eventos são a Festa do Milho realizada em 3 dias em frente ao Ginásio de Esportes; e Peão de Rodeio Profissional.




A Paróquia Nossa Senhora Divina Pastora pertence a Arquidiocese de Maringá.
Ourizona tem cerca de 1.300 residências na área urbana.

Uma outra curiosidade é que lá tem uma propriedade rural chamada Rancho Parati. Alí são criadas e comercializadas aves silvestres com autorização do IBAMA.







LANCHE À BORDO - Na cidade de Capitão Leônidas Marques, encontramos o Salesio de Oliveira. Ele montou sua lanchonete dentro de um ônibus. O veículo foi comprado em um leilão realizado pela prefeitura de Curitiba. A próxima etapa é instalar mesas e poltronas na parte de cima, para os dias mais quentes. CLIQUE AQUI E VEJA MAIS SITUAÇÕES CURIOSAS, ENGRAÇADAS E INOVADORAS QUE ENCONTRAMOS PELO PARANÁ



Dois Vizinhos: muitas indústrias e desenvolvimento



Na principal praça de Dois Vizinhos, um monumento relembra a "Revolta dos Posseiros". Foi um levante realizado por colonos e posseiros armados iniciado em 10 de outubro de 1957 como forma de repúdio aos sérios problemas de colonização da região que se estabeleceu entre posseiros, colonos, companhias de terras grileiras, e os governos federal e estadual.

A cidade de Dois Vizinhos está localizada a 336 quilômetros de Campo Mourão por rodovia ou 203 km em linha reta. Entre os 399 municípios paranaenses ocupa a posição 44 em população com 40 mil 641 habitantes. Em economia está em 73º. Metade da cidade tem rede de esgoto.

A cidade conta com estacionamento rotativo por parquímetro ou aplicativo. Mesmo pagando, o tempo máximo para ficar em uma mesma vaga é de duas horas. O estacionamento rotativo vigora de segunda à sexta das 9h às 17h e aos sábados das 9h às 12h. É preciso atenção ao dirigir por lá. Tem radares, semáforos, vias de mão única e vias exclusivas para conversão à direita ou a esquerda.




Graças a empresa Sadia, hoje BRF, Dois Vizinhos conquistou em 2005, o título de Capital Nacional do Frango. A BRF é o maior abatedouro de aves da América Latina e o município é lider nacional na produção de frangos. Além disso, produz 15 milhões de ovos por mês. São nada mais nada menos que 1.204 aviários e cerca de 20 empresas que atuam em parceria com a BRF.




Dois Vizinhos tem mais de 150 indústrias de vários setores como têxteis, máquinas industriais, móveis e alimentos. No total eles empregam mais de 3 mil pessoas. Em torno de 40 por cento do PIB do município é oriundo do setor industrial. Além da Sadia/BRF, também opera na cidade a empresa Miolar que abate bovinos e suínos. É sede da COASUL, cooperativa agroindustrial, com mais de 1.700 associados.




Dois Vizinhos tem esse nome por causa de um rio que passa pelo município. Até o começo de 1950 só era possível chegar lá por cavalo ou pelo rio. Em 1953 foi elevado a distrito e em 1960 ganhou a condição de cidade. A instalação ocorreu em 28 de novembro de 1961, com a posse do primeiro prefeito. Quem nasce lá é denominado de "duovizinhense".




Dois Vizinhos conta com campus da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). O local onde surgiu a universidade era um Colégio Agrícola que iniciou as atividades em 1997. Em 2001 foi incorporado ao Sistema CEFET. Em 2005, o CEFET em todo o Paraná foi transformado em UTFPR.




Entre os cursos oferecidos pela UTFPR de Dois Vizinhos estão: Agronomia, Engenharia de Software, Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, Engenharia Florestal, Licenciatura em Ciências Biológicas e Zootecnia. Na cidade também atua a Faculdade particular Unisep com 11 cursos de gradução e 3 de pós graduação. Tem ainda a Escola do Senai.




Dois rios cruzam a cidade e um deles é utilizado na captação de água para abastecimento.

A principa festa é a Expovizinhos, realizada no Parque de Exposições, entre o final de novembro e começo de dezembro. Conta com shows nacionais, mas é preciso pagar pelo ingresso.

O prato típico é o "Leitão a Dois Vizinhos", que geralmente é servido na Expovizinhos.

A cidade participa da Série Ouro do Futsal, e já teve um time no Paranaense de Futebol. Prato tipico Leitão a Dois Vizinhos.

Saiba que a Cooperativa de Crédito Cresol nasceu em Dois Vizinhos no dia 24 de junho de 1995.




Dois Vizinhos dispõe de uma ótima rede hoteleira. O da imagem acima é o Hotel Lago Dourado que fica em frente ao Lago Municipal. Outra opção é o também 4 estrelas "Dois Vizinhos Palace Hotel". Outras dicas são os Hoteis Requinte e Silver Gold.




É estranho, mas em Dois Vizinhos existem dois centros: centro sul (foto acima) e centro norte. O centro norte é onde estão as agências bancárias, principais lojas e o maior movimento. (ver fotos da cidade publicadas acima).




Em cada um dos centros da cidade tem uma paróquia. A da imagem acima é a primeira, localizada no centro norte, denominada de Santo Antônio de Pádua, localizada na Praça Ari Jaime Muller.




No chamado "centro sul" está a paróquia Imaculada Conceição, criada em 1978, e cujo templo foi inaugurado em 1985.



Cruzmaltina: também foi chamada de "Pau Lascado"



A cidade de Cruzmaltina está localizada a 150 quilômetros de Campo Mourão. O município tem 3.162 habitantes, ocupando a posição 369 entre os 399 do Paraná. Em economia figura na colocação 123. Quarenta por cento da cidade tem rede de esgoto. O trevo de entrada da cidade faz referência ao peão de boiadeiro.




A principal avenida da cidade é denominada de Padre Gualter Negão. Até o dia 1 de janeiro de 1997, Cruzmaltina pertenceu a Faxinal. O aniversário do município é comemorado no dia 13 de dezembro. A maior área com agricultura é com a soja. Essa cultura ocupa cerca de 10 mil hectares. Destaque também para a avicultura e pecuária.




Cruzmaltina tem cerca de 720 residências na área urbana. As empresas comerciais somam 40. O município tem 3 pequenas indústrias. Não tem agências da Caixa ou Banco do Brasil, mas conta com atendimento do Bradesco.




No início Cruzmaltina era conhecida pelo nome indígena "Mamoré". Depois por "Pau Lascado", porque as casas eram feitas de madeira lascada. O terceiro, Jardim Flórida. O nome Cruzmaltina foi para homenagear padres oriundos da Ilha de Malta que que trabalharam no município. A comunidade foi elevada à distrito em outubro de 1979.




O futebol é uma das diversões dos moradores de Cruzmaltina. A cidade tem uma equipe na Série Bronze do Paranaense de Futsal. O município também sedia competições de motocross.




A Paróquia Nossa Senhora Aparecida pertence a Diocese de Apucarana e foi criada e instalada em 1969. O Brasão do município tem a imagem de Aparecida em destaque.

O grande evento em Cruzmaltina é a Festa do Peão realizada em vários dias e com shows nacionais.



São Manoel do Paraná: turismo, segurança e um app para reclamar



São Manoel do Paraná, é uma cidade da região de Cianorte, localizada a 104 quilômetros de Campo Mourão. Está entre os 10 menores municípios do Paraná com 2.160 habitantes e figurando na posição 394 entre os 399 do Estado. Tem um dos menores índices de homicídio, furtos e roubos.




A principal via da cidade, a Avenida Rondon, concentra mais residências do que empresas. Em economia está na posição 248. A média é de 2 salários mínimos por habitante. Apenas 3 por cento da cidade tem rede de esgoto.




A área onde está o município de São Manoel do Paraná já foi habitada pelos índios Cariris. O patrimônio começou a ser formado na década de 50 por produtores de café. No início era chamado de "São Manoel" e pertencia ao município de Indianópolis. Foi elevado a município em 1990 e elegeu o primeiro prefeito em 1992. Após a emancipação foi acrescentado o nome "Paraná".




Embora tenha nome de santo, a padroeira é Nossa Senhora do Rosário do Rocio. A data é comemorada com festa no dia 15 de novembro. A paróquia pertence a diocese de Umuarama. A cidade tem pouco mais de 600 residências, cerca de 50 empresas comerciais e quatro pequenas indústrias.

CURIOSIDADE - Em São Manoel do Paraná existe um aplicativo que o morador instala no celular para fazer reclamações e solicitar serviços junto a prefeitura. Pelo mesmo aplicativo a prefeitura informa sobre obras, serviços e eventos.




A foto acima é de um enfeite instalado em frente ao palco durante as comemorações do 29º aniversário, dia 13 de setembro de 2019 (Praça Paraná).

No município existe o Patrimônio Natural Caraguatativa que pertence a Companhia Melhoramentos Norte do Paraná. Trata-se de uma reserva particular com 222 hectares. A mata tem plantas medicinais e grande variedade de aves e animais silvestres. Ainda no local a "Lagoa Preta" e trilhas. A visita ao local é agendada na secretaria municipal do meio ambiente.



 
COLUNA DO ELY
a
COLUNA DO ELY
Campo Mourão - Paraná - Brasil - e-mail elyrodriguesdaniel@outlook.com / Rádio T FM - 44- 3523-5248